quinta-feira, 6 de março de 2014

cancros e algarismos do tempo

o último algarismo do ano último
que por força do hábito insiste
em aparecer
resiste
o passado novo


todos guardamos na pele
a memória do câncer 
que só saberemos depois 
de passadas algumas décadas

cancros provocados 
por itens de beleza
por remédios
pelos sorrisos não dados

saberemos quando velhos
ou antes disso
no tarde demais

era cedo demais
ela era tão linda
com seu vestido e batom vermelhos


Nenhum comentário: