segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

domingo, 27 de janeiro de 2013

caminhos


um dia a noite 
colibri
uma noite um dia
sítio
à noite nós andando
um local privado 
que não é de lugar nenhum
é do mundo
o jardim de Clara
é só uma sacada
com raras flores
ali passa um rio
um dia uma noite
passou uma enorme onda
um enorme rio


caminhos
Rio São João, 2013


Fogou

na roupa
na favela
intencional
a faísca
voou
caiu no mato seco
fogou!
marcou dourado
amarelo queimado
fumaça e cheiro de fumaça
fogou!
todos juntos reunidos
a fumaca
a xama
a faísca
voou

(poesia do dia 25 de janeiro de 2013)

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

retão

o caminho é longo
é um retão
num cavalo vai
quem monta o cavalo
vai no caminho reto
um retão
chega voando
um zumbido no ouvido
zzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
quem monta vai sustentar esse cavalo
com um outro zumbido zumbizando
no ouvido
voando
alta velocidade
galopar
um grito
no retão
vai embora
longe longe
alta velocidade
tem a frente uma menina
Isabel
segura tudo bem pequenina
ela é a menor 
esnoba a alta velocidade
resta suas asas 
mais frenéticas que o zumbido
  


   

Breu

Subindo uma rua
ladeira preta
pra onde vamos 
ninguém na rua
uma viva alma
um zumbi cracudo
dois caras passam numa bicicleta
acabo de pegar um ônibus recém assaltado
dois caras numa moto
olhando pra dentro do carro

o carro é uma cela

vazio de existência
externando o vazio
som alto saindo do carro
som alto na porta da casa
a porta vazia
um medo que grita no som da porta de casa