quarta-feira, 25 de abril de 2012

ingênua

me dê tempo pra fazer uma música ingênua
e por isso mesmo sincera
antes que a caneta acabe

2 comentários:

Luís Gustavo Brito Dias disse...

- mas se não der tempo, que a música ecoe no íntimo, como uma reza, um mantra.


grande abraço, jane.

floema disse...

me senti agora numa jam através dos signos, com a linha da tinta traçando paisagens nas curvas sobre o papel