domingo, 14 de agosto de 2011

poemas do dia dos Pais

você que saiu para fazer cobranças
na Fortuna do Maranhão
saiba que eu estou te olhando
sentada no teu lado

me cutuque


*



Jeová
meu
pai

**

lugares tela paisagem
janela da camionete
abre o morcego, fecha o morcego
insetos batem no pára-brisa
nós escutamos Roberto Carlos e orações
eu falava das minhas lições de história
você contava a História da vida
sua, nossa, de todos os nossos
cemitérios na estrada
na direção do nascer e pôr do sol
pequenas montanhas, babaçuais
queria que dormíssemos ali um dia
inteiro de vida

queria ter agora em mãos
nosso álbum de retratos
com você ao nosso lado

Maranhão, 2010

***

sou o que sou o que
era menina
indo te buscar no seu telefonema
de um telefone que nem era nosso
eu ia te chamar, sonava
para a gente ir jantar em casa
foi minha mãe que mandou
e eu que fui porque quis
te encontrar








5 comentários:

floema disse...

gostei muito! tive as impressões da estrada...tbm senti o calor e a sombra da árvore quando o motor do carro desliga embaixo dela

Aline Cristina disse...

Menina, que fotos lindas!

P.s.: Incrível como você parece tanto fisicamente com sua mãe e, seu irmão, com o seu pai [é a genética Luluzinha-Bolinha].

Anônimo disse...

Jane,

sua poesia, sua fotografia, me fazem pensar, me fazem sentir. Me fazem sentir, me fazem pensar. Gosto disso. E vc se inscreveu dona senhora? eu até agora não, ms o dia não acabou...rs

giselle

cgliberio disse...

poxa, que lindos

Jane Maciel disse...

valeu gente querida!
sempre bom ver vcs aqui...