domingo, 4 de julho de 2010

se andamos desenfreados
paramos com a queda
fervor do meio-dia
dia com o clamor
dos sentidos
enganadores talvez

ingenuidade não é virtude
só os bons dão sem querer
e os bons são poucos
e ser bom é pouco

a comida selecionada
do caldeirão do rei
veio da mesma plantação
do grão que se estragou

3 comentários:

floema disse...

certo, tudo tem limite, até mesmo o ápice do meio dia. vivendo e aprendendo com erros e acertos pra seguir em frente. amo você!

Raquel Franco disse...

bom gostei do blog
axé!

antonio disse...

o último estrofe é um poema a parte.