quarta-feira, 7 de julho de 2010

o corpo nu
é o corpo da dobra

o que sobra
depois
e antes
de tudo o que cobre

adereços

Um comentário:

floema disse...

é uma música nascendo em silêncio