terça-feira, 13 de março de 2012

escuto escuro escudo

eu queria me ausentar da possibilidade de buscar nessa ferramenta
esperar a resposta que chega sedenta da nossa espera
ela chega alegre
ou triste mesmo
 às vezes peçonhenta
uma cobrinha mansa que engole algum animal pequeno

eu queria escrever aquelas poesias da espera
que saíram das suas caixas de sapatos - sozinhas
escutar aquele som de sapo no terreno do vizinho

não mais vou buscar nada
por enquanto escuro
portanto escuta
eu não queria nada em troca pela resposta
que vai chegar bem antes do sapo sair de lá

em breve

Um comentário:

floema disse...

parece um sonho