terça-feira, 21 de dezembro de 2010

com esta poesia

quero me contentar
com pouco
vendo brotar
tubérculos na geladeira
luzes de natal na mente
pássaros, biomas
virtuais

com muito
quero me contentar
hoje treino, amanhã
qual será meu contento
serei-areia-sendento
suprimentos de sons
blues e poeira
sei, quero tentar

com amor,
feliz natal

assinatura.

2 comentários:

Sotnas disse...

Olá Jane, desejo que tudo esteja bem contigo!
Quando temos um autocontrole, nos conhecemos, pouco é o bastante pra nos contentar. Alguns sábios costumam chamar isto de solidariedade, quando pensamos além de nós mesmos!
Gosto de ler seus escritos, pois me fazem pensar em como não sabemos nada sobre o nosso semelhante, gosto de ler escritos que contrariam o que alguns psicólogos insistem em afirmar! Por também gostar de contrariar! Desejo pra você e todos ao redor iluminada existência, e um natal de farta alegria sempre, grande abraço e até mais!

floema disse...

muito linda sua poesia e a sua lapidação constante da essência-cristal. muito grato pelos aprendizados e por compartilhar esse tempo de buscas. com a poesia você chega mais próximo de Deus