quarta-feira, 11 de agosto de 2010

"Poesia é o nome elegante que se dá a sentenças originas que se protejam do nada. Aparecem onde não havia nada. A descoberta de que todo pensamento tem origem poética e de que os poetas são os criadores do pensamento ex – nihilo é uma descoberta do nada fudante. Os poetas que sabem disto, e entre nós são bem representados pelos poetas concretos, aplicam metodicamente essa descoberta. A poesia é o nitrato de prata do pensamento. O espelho está virado."  (Flusser)

Um comentário:

floema disse...

O neurobiólogo Semir zeki, por exemplo, costumava dizer que a função da arte nada mais é do que uma extensão do próprio cérebro: “A busca do conhecimento em um mundo que está sempre mudando”.

Todo corpo muda de estado cada vez que percebe o mundo. Mas o corpo artista é aquele em que aquilo que ocorre ocasionalmente como desestabilizador de todos os outros corpos (...) vai perdurar. Não porque ganhará permanência nesse estado, o que seria uma impossibilidade, uma vez que sacrificaria a própria sobrevivência. Mas, dessa experiência, necessariamente arrebatadora, nascem deslocamentos de pensamentos que serão por sua vez, operadores de outras experiências sucessivas, prontas a desestabilizar outros contextos.
(Christine Greiner)