terça-feira, 25 de maio de 2010

conto para uma criança

quando morávamos no mato
meus cabelos você penteava
eu era teu filho
além da espécie
teu pai
que te carregava
até quando você me pediu as costas
e eu te trouxe para cá
onde agora recebo essa bala
me despeço e me desculpo
por ser aos teus olhos
irracional
cavalo

2 comentários:

floema disse...

o olhar e a respiração de um cavalo me faz lembrar que também somos instinto

Bruno Ferreira disse...

no olhar que diz tudo